quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Síndrome da eterna noiva!



Gente, é sério mesmo, acho que tenho algum tipo de doença inédita na humanidade, a "Síndrome da eterna noiva", pois o véu me deixou, ou melhor, o casquete me deixou, mas eu não deixei o casquete pra trás. Estava conversando com a Marcela esses dias e nós estávamos falando sobre a nossa dificuldade em parar de ver o mundo pelos olhos de noiva: Tudo é lindo, todos os fornecedores são justos, o mundo gira em torno do amor, etc, etc, etc...

Apesar de já ter se passado mais de um ano desde o meu casamento e de eu ainda ter um blog sobre o assunto, não me tornei fornecedora de serviços desse ramo. Apenas continuo apaixonada pelo tema, mas confesso que, seja por causa do blog, seja por ter um marido fotógrafo, acabei conhecendo vários fornecedores e às vezes me decepciono um pouco com a visão do "outro lado da força".  É difícil para nós, eternas noivas, lidarmos com o fato de que, para o fornecedor, nosso casamento é um negócio e apenas mais uma data na agenda. É uma forma fria de ver, mas é a realidade para muitos. Por isso, fico tão feliz quando encontro fornecedores que não só são honestos, mas compram a idéia dos noivos, mantém contato durante os preparativos, passam segurança e tranquilidade e, principalmente, fazem seu casamento parecer o mais importante de todos. Esses fornecedores não são a maioria, mas existem!

Muita gente me pergunta por que não viro cerimonialista, assessora ou algo do tipo. Eu até que queria ter tempo de me dedicar profissionalmente ao mundo dos casamentos, mas, além da falta de tempo, sinceramente, tenho um pouco de medo de mudar a forma como vejo os casamentos. Tenho medo de deixar o casquete pra trás e deixar de me empolgar com cada contrato fechado das noivas amigas, com cada porta-guardanapo feito com as madrinhas durante o final de semana, com cada noivo que preparou uma surpresa para entregar durante o making of.

Enfim, sofro dessa síndrome, mas sofro conscientemente. Algumas pessoas próximas a mim não entendem como ainda tenho um blog sobre casamento, mas vocês estão aqui pra isso, não é não?! E eu tenho a sorte de ter várias oportunidades de reavivar esse sentimento de amor pelo blog, seja com os comentários carinhosos, seja com blogueiras que passo a conhecer pessoalmente, seja com o contato com as noivas, como aconteceu no Agora no altar.

___________________________

Ah, e quem não respondeu, por favor responda à enquete na lateral do blog! Obrigada!

19 comentários:

  1. Ai é difícil mesmo! Bom, ainda sou noiva, mas como criei o blog antes mesmo de ser pedida em casamento, acho que vou continuar com a cabeça de noiva depois tbm!!
    Mas pense por um lado, vc ter esta visão de casamento pode ser um diferencial se virar assessora, não significa que sua visão mudaria!!
    Bjsss

    ResponderExcluir
  2. e nós adoramos suas dicas,ideias..tudo!
    Vou ser sincera,não sei o que vai acontecer com o meu depois que casar..vamos ver!rs


    Bjo

    ResponderExcluir
  3. E ainda bem que vc tem esta "sindrome" pq ela torna seu blog ainda mais especial...bjos

    ResponderExcluir
  4. Às vezes acho que tb não vou conseguir deixar o véu de lado!!!
    Qts vezes pensei em dar um salto no escuro e trabalhar com isso, seja que qualquer forma.
    Poder ver a felicidade estampada nos olhos de mulher simples, que no dia mais feliz de suas vidas, se tornam princesas de contos de fadas!
    Foi uma pena não ter me inscrito no evento de vocês, talvez eu teria tido uma ótima oportunidade de conhecer pessoas sonhando as mesmas coisas que eu =[

    Bj

    ResponderExcluir
  5. Eu enjoei um pouco depois do casamento... mas o enjôo passou rápido e continuo adorando... será que passa um dia???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também fico pensando se esse dia chegará pra mim, Lud! Bjos.

      Excluir
  6. Te entendo mtooo Re...tbm não consigo me desprender..e quer saber a verdade?? Nem quero!!!! =)

    beijos!!

    ResponderExcluir
  7. Aaaaah tb tenho essa sindrome, mas não quero me curar dela não...rsrsrs
    Beijo flor
    ;)

    ResponderExcluir
  8. Emocionei, pq eu me vejo assim... é uma sidrome, acredita que depois do casamento, quando voltei da Lua de mel, fiquei deprê, mas deprê mesmo... não pelas coisas que não gostei na minha festa, mas... pela necessidade de planejar, admirar... sim vou ser sim uma eterna noiva. Tenho uma relação boa com essa de síndrome de Estocolmo.... Que queria que todas as minha amigas ficassem noivas, só para eu fazer alguma coisa...

    E sobre pessoas que veem seu casamento como uma só data é triste, eu vi algo mais ou menos assim no meu...



    ResponderExcluir
  9. Ah! Raquel, depois vou postar sobre o convite... lembrando que eu queria igual ao seu e ficou completamente diferente...mas teve tecido!

    ResponderExcluir
  10. Que lindo Rebeca, é bem assim como me sinto também. Exatamente igual...
    Já tive momentos ruins depois do casamento só de imaginar que acabou e que não iria mais blogar, ver e amar coisas de casamento. Quase desisti também do blog... mas passou. Ainda bem, não é porque não somos mais noivas que deixamos de sonhar. Só passamos pro lado de casada, porém eterna noivas que tem a experiência e o amor necessário para dividir com as recém noivinhas as dicas.

    Como sempre digo: Uma vez noiva, sempre noiva ♥
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Oi Rebeca! Acho que todas ficamos um pouco assim mesmo, um pouco saudosas, já que casamento é apenas um, né! Eu aproveito para compensar com as amigas que estão nos preparativos e é tudo muito gostoso! Tenho certeza de que você daria uma ótima cerimonialista, exigente do jeito que é, mas não tenha medo de perder esse carinho com que você trata o assunto. Por mais que seja um trabalho, quando é feito com paixão nosso "olhar" não muda! ;) Claro que nem toda ex-noiva que entra para o mundo dos eventos depois de casar mantém essa paixão em primeiro lugar - até porque umas só o faz pelas altas cifras que estão associadas ao nome casamento - mas sempre existem exceções, como imagino que a Marcela também seja!

    Estou bem sumida dos comentários, mas saiba que estou sempre por aqui olhando as novidades!

    Beijo grande

    ResponderExcluir
  12. Oi Rebeca! Sabe que eu sinto esse seu amor pelo assunto de casamentos em cada post... é difícil continuar falando sobre isso depois do casamento, ainda mais de uma maneira tão apaixonante! Continue assim até o dia (se esse dia chegar) em que seus interesses mudem, mas saiba de cada post seu passa essa sua atitude verdadeiramente.... =)
    Bjus

    ResponderExcluir
  13. Gostei muito da sua sinceridade!
    Eu fiz mais ou menos o caminho inverso: já trabalhei muito em casamentos, bem antes de ser noiva. Mas sempre me emocionei em cada casamento, acho o ritual mais lindo que existe, é uma entrega, algo muito profundo. Mais de uma vez um colega já teve que me cutucar para eu não perder a entrada da música, porque eu me envolvia tanto que quase me esquecia de que estava ali para tocar!
    Quando eu me vi na posição da noiva, não sabia o que fazer! Vivi intensamente os preparativos (na medida em que o trabalho deixava, rsrsrs) e depois cansei! Hoje eu só entro em alguns poucos blogs, só os que têm textos interessantes, bem escritos e tal.
    Mas às vezes me pego pensando que, como meus pais fazem 50 anos de casados em 2013, seria bem legal ajudá-los a fazer uma comemoração bem linda, celebrar esse momento, quase como ajudar uma noiva! Só que com 50 anos de casamento!!
    Beijos

    ResponderExcluir
  14. A gente te entende e adora seu blog!!!
    Adorei o post e algumas pessoas já me perguntaram se eu gostaria de virar assessora depois, eu acho que gostar de falar sobre casamento é uma coisa, trabalhar com isso outra. Tb tenho medo de tirar esse glamour que a gente vê os casamentos né!
    Bjs =^.^=

    ResponderExcluir
  15. Gente,

    Será que é isso mesmo? Eu devo ter a síndrome da noiva. Custando pra ir pro altar, viu?
    HÁ.HÁ.HÁ.

    Brincadeirinhas à parte, adorei a reflexão, viu? Eu concordo plenamente com você sobre esse "lado frio" de muitos fornecedores. O pior é quando já "de cara" tratam a gente assim, como só mais um negócio. Eu gosto de atendimento mais pessoal. Não gosto de uma impessoalidade tão presente no ramo. Penso que, talvez, essa seja uma característica da noiva brasileira. Não sei.

    É como a Lilian diz: "uma vez noiva, sempre noiva".


    Beijinhos.

    Cris.

    ResponderExcluir
  16. Vc jamais passará pro outro lado. Se fosse pra passar,já teria passado.Para de bobeira. Se teu coração diz que vc tem que trabalhar com cerimonial, faça isso.
    Vamos em frente, eternamente, com nossos véus na cabeça, o buquê nas mãos e com MUITO orgulho disso!
    Bjkssss

    ResponderExcluir
  17. acho que o e-Noivas é prova de que a Síndrome da eterna noiva existe!
    Não mantenho o blog porque quero ser cerimonialista, assessora como voce citou que muitas pessoas sugerem...mantenho pelo prazer de falar sobre casamentos, amor, sonhos, expectativas, de saber que de alguma forma ajudo pessoas que estão passando por uma das fases mais contagiantes da nossa vida...e acredito que você também né Re?
    mas tenho uma opinião sobre ser eternamente noiva...acho que um dia isto termina...mas te conto pessoalmente quando a gente se conhecer no 'encontrinho' rsrs =)
    bjo grande, Vanessa

    ResponderExcluir
  18. Eu costumo falar que ainda não larguei o buquê!
    Acho que nunca vou largar!
    Bjs

    ResponderExcluir

O que você achou?!?!

Se for comentar como "anônimo" não esqueça de deixar seu e-mail!!!